História

A Cia. Canto de Riscos tem como proposta de trabalho a vivência, experimentação e divulgação de uma linguagem que une música, teatro e multimeios. O coro-cênico, vertente coral academicamente desenvolvida pela Universidade de São Paulo através do Coral da USP – Ribeirão Preto e por diversos projetos junto à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, foi a linguagem adotada para ser o fio condutor desta proposta.

Todo o processo de criação da Cia. Canto de Riscos é permeado pelas linguagens do teatro contemporâneo, onde o arrojo experimental e o risco são aliados às técnicas apuradas do teatro e do canto coral, visando a criação de novas referências para a linguagem.

Nascido em 2013 – com seus primeiros membros advindos de uma turma da graduação em Teatro do Centro Universitário Barão de Mauá da cidade de Ribeirão Preto -, o grupo teve como marca inicial de seu trabalho o espetáculo Miríades Poéticas, apresentado na Tenda Cultural Ortega Y Gasset no Campus da USP de São Paulo, com músicas que iam de Red Hot Chilli Peppers e Bonnie Tyler a Tomzé e Caetano Veloso.

Atualmente, a Cia. Canto de Riscos desenvolve o projeto Música e Periferia, que visa trabalhar a pluralidade cultural e o rompimento com padrões musicais do meio acadêmico, trazendo uma proposta artística de ressignificação de músicas ligadas à cultura da periferia aliada a reflexões no campo sociocultural.

Composta por atores de alta sensibilidade e experiência artística e membros da comunidade USP, a Cia. Canto de Risco é liderada com a experiência, conhecimento e potencial do Diretor Artístico e Regente Titular do Coral da USP Ribeirão Preto, maestro Sergio Alberto de Oliveira.